Marcadores

domingo, 21 de agosto de 2016

Tâmia

Imagem retirada de "O Fascinante Mundo Animal", IMP Online

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Mamíferos
Ordem: Rodentia
Família: Sciuridae
Gênero: Tamias
Espécie: Tamias striatus

Também conhecido como esquilo listrado, este simpático roedor é encontrado nos Estados Unidos e Canadá. Seu habitat são as florestas temperadas e áreas arbustivas.
É um animal solitário e diurno. Alimenta-se de nozes, sementes, frutos, insetos e ovos. Normalmente, armazena o alimento em bolsas em suas bochechas. Sua toca é um aglomerado de galerias, que vai aumentando aos poucos durante sua vida. Come o que puder e armazena o excedente na toca. Como não hiberna, beneficia-se das reservas de alimento armazenadas durante o ano.
O tâmia reproduz-se duas vezes por ano, de março a maio e de julho a setembro. Durante essas épocas, os machos lutam ferozmente para se acasalar com as fêmeas. Após o acalamento, o macho não participa da criação dos filhotes. A mãe dá à luz a 4 ou 5 filhotes por vez, num período de gestação de 31 dias. Os filhotes são cuidados unicamente pela mãe. Aos dois meses de idade, os filhotes torna-se independentes, tornando-se adultos com um ano de idade. A longevidade é de cerca de 3 anos em liberdade e de 5 a 8 anos em cativeiro.
O tâmia não está ameaçado de extinção.

Curiosidades:
  • O tâmia se tornou famoso graças aos desenhos animados e filmes "Alvin and the Chipmunks". O nome em inglês do tâmia é "chipmunk".

sábado, 20 de agosto de 2016

Jacutinga

Imagem retirada da Internet
Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Aves
Ordem: Galliformes
Família: Cracidae
Gênero: Aburria
Espécie: Aburria jacutinga

Originalmente, esta ave era encontrada desde o sul da Bahia até o Rio Grande do Sul, norte da Argentina e Paraguai. Hoje, está confinada a áreas protegidas da Mata Atlântica. Seu habitat são as florestas primárias densas.
Vive em bandos de até 15 indivíduos. Seu alimento preferido são os frutos carnosos. Costuma alimentar-se durante vários dias seguidos das frutas de uma mesma árvore, na época de fartura. Acredita-se que guarde bem na memória, onde há grande abundância de frutas, pois costuma voltar ao mesmo local de alimentação de ano a ano. Come também artrópodes, botões florais e sementes.
A reprodução ocorre de agosto a janeiro. Faz seu ninho nos galhos mais altos e protegidos. São postos de 2 a 4 ovos, com período de incubação de 28 dias. Aos 30 dias de idade, os filhotes já são capazes de voar.
Infelizmente, a jacutinga está criticamente ameaçada de extinção. As principais causas de seu declínio são a caça indiscriminada e a destruição de seu habitat.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Cobra Raposa Ocidental

Postagem relacionada com a de ontem.

Imagem retirada da Internet

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Répteis
Ordem: Squamata
Família: Colubridae
Gênero: Pantherophis
Espécie: Pantherophis vulpinus

Esta serpente não-peçonhenta é encontrada nos Estados Unidos. Seu habitat são pradarias, florestas, dunas, pastagens e áreas cultivadas.
Normalmente é encontrada próxima à água. É uma excelente escaladora. Alimenta-se de roedores, coelhos e pássaros. Ocasionalmente, come ovos. Mata suas presas por constrição. Agita sua cauda quando se sente ameaçada.
A reprodução ocorre uma vez por ano, de abril a julho. São postos de 6 a 29 ovos. Os filhotes nascem no período entre agosto e outubro. A longevidade é de cerca de 17 anos.
A cobra raposa ocidental é importante no controle biológico de roedores e coelhos. Ainda não está ameaçada de extinção, mas a caça ilegal, atropelamentos e destruição de seu habitat podem comprometer a espécie em um futuro próximo. Muitas vezes, é confundida com a cascavel e morta injustamente.

Curiosidades:

  • A cobra raposa ocidental é extremamente parecida com a cobra raposa oriental. As duas serpentes já foram classificadas na mesma espécie. Porém, estudos genéticos comprovaram que são espécies distintas.

domingo, 14 de agosto de 2016

Cobra Raposa Oriental

Imagem retirada da Internet

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Répteis
Ordem: Squamata
Família: Colubridae
Gênero: Pantherophis 
Espécie: Pantherophis gloydi

Esta serpente não-venenosa é encontrada nos Estados Unidos e Canadá. Seu habitat são as regiões pantanosas, florestas e áreas rochosas.
Não é uma serpente agressiva. Normalmente, evita confrontos, preferindo fugir de seus agressores. É um animal terrestre. Raramente sobe em árvores. Alimenta-se de pequenos mamíferos, rãs e pássaros. Ocasionalmente, come ovos. Mata suas presas por constrição, ou seja, enrola-se ao redor de sua presa, matando-a por sufocamento. Hiberna no inverno.
A reprodução ocorre uma vez por ano, em junho e julho. São postos de 7 a 29 ovos por vez, que chocam até o final do verão.
A cobra raposa oriental é importante no controle biológico da população de roedores. Ainda não está ameaçada da extinção, porém algumas pessoas ainda a matam imaginando que é uma espécie peçonhenta.

sábado, 13 de agosto de 2016

Lula Vampiro

Imagem retirada de "O Mundo dos Animais", Editora Nova Cultural

Classificação:
Filo: Moluscos
Classe: Cephalopoda
Ordem: Vampyromorphida
Família: Vampyroteuthidae
Gênero: Vampyroteuthis
Espécie: Vampyroteuthis infernalis

Esta espécie de lula recebe o nome popular, devido à membrana que liga seus tentáculos dar-lhe a aparência de um morcego marinho. É encontrada em oceanos tropicais e temperados. 
Vive em profundidades de 300 a 3000 metros. Nesses locais, a taxa de oxigênio é baixa e praticamente não há luz disponível. Alimenta-se de camarões e outros pequenos invertebrados marinhos. É uma espécie capaz de produzir luz, graças a estruturas conhecidas como fotóforos, mas apenas por breves minutos. Não é uma espécie agressiva.
Pouco se sabe sobre a reprodução da lula vampiro. Sabe-se que o macho insere seus espermatozóides no corpo da fêmea e após fecundada ela põe seus ovos na água. Os ovos formam filamentos que flutuam na água. Os filhotes são versões diminutas semelhantes aos adultos.
Não há dados suficientes sobre seu estado de conservação em natureza.

domingo, 7 de agosto de 2016

Rã Arborícola Cinza Comum

Para conhecer um parente próximo, clique aqui.

Imagem retirada da Internet

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Anfíbios
Ordem: Anura
Família: Hylidae
Gênero: Hyla
Espécie: Hyla versicolor

Esta espécie de rã arborícola é encontrada nos Estados Unidos e Canadá. Seu habitat são os pântanos, lagos, zonas suburbanas e florestas.
Vive próximo a cursos de água, permanentes ou não. Normalmente não é agressiva com os indivíduos de sua espécie. Alimenta-se de outros anfíbios menores, insetos, vermes e moluscos. Há casos de canibalismo, em que indivíduos maiores devoram indivíduos menores. É uma espécie que hiberna no inverno.
Reproduz-se uma vez por ano, do final de abril até o final de maio. Os machos tornam-se particularmente agressivos e territoriais nessa época. Os machos vocalizam para atrair as fêmeas. Estas, acasalam com aqueles que possuírem os chamados mais prolongados e frequentes. São postos de 1000 a 2000 ovos por vez. O período de incubação dos ovos é de 3 a 7 dias. As larvas tornam-se adultas por volta dois anos de idade. A longevidade é de cerca de 7 anos.
A rã arborícola cinza comum não está ameaçada de extinção.

Curiosidades:
  • Muitas vezes, a rã arborícola cinza comum é confundida com outra espécie extremamente parecida com ela, a rã arborícola cinza de Cope. Apesar de extremamente parecidas, a rã cinza comum possui mais cromossomos do que a rã de Cope.

sábado, 6 de agosto de 2016

Cardeal do Banhado

Imagem retirada da Internet

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Aves
Ordem: Passeriformes
Família: Icteridae
Gênero: Amblyramphus
Espécie: Amblyramphus holosericeus

Esta bela ave é encontrada desde a Bolívia à  Argentina, Uruguai, Paraguai e Brasil. Seu habitat são os pântanos com águas profundas, rios e áreas com densa vegetação típica de locais alagados.
Voa com dificuldade. Basicamente, alimenta-se de artrópodes, incluindo besouros, aranhas, gafanhotos e larvas de insetos. Come também grãos, sementes e frutas.
Faz um ninho em forma de copo, na parte superior de um arbusto. São postos dois ovos por vez.
Seu nome científico significa "bico fino todo de seda".
O cardeal do banhado não está ameaçado de extinção.