Marcadores

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Garoupa

 Esta é última postagem da série "Animais das Cédulas de Real". O animal que está estampado no verso da cédula de 50 reais está aqui. Então o animal desta postagem corresponde ao que está no verso da cédula de 100 reais.

Imagem retirada da Internet
Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Osteichthyes
Ordem: Perciformes
Família: Serranidae
Gênero: Epinephelus
Espécie: Epinephelus marginatus

A garoupa é um peixe oceânico encontrado no Oceano Atlântico e Índico. É encontrado em vários países como Inglaterra, Brasil, Uruguai, Argentina, Moçambique e Madagascar.
É um peixe territorial e de hábitos solitários. Os adultos vivem em áreas rochosas submersas. Os jovens vivem próximos à costa. Alimenta-se de moluscos, como polvos e lulas. Come também outros peixes menores e caranguejos. É um peixe predador, mas não costuma ser agressivo com o ser humano.
É um peixe muito apreciado como alimento. Por está razão, está em risco de extinção devido à pesca predatória.

Curiosidades:
  • A garoupa está estampada no verso da cédula de 100 reais. Esta cédula entrou em circulação em 1 de julho de 1994.
Imagem retirada do site do Banco Central do Brasil

sábado, 19 de julho de 2014

Mico-leão Dourado

Continuando a série "Animais das Cédulas de Real". O animal que está estampado na cédula de 10 reais está aqui. Então vamos prosseguir com o animal da próxima cédula...

Imagem retirada de "O Fascinante Mundo Animal", IMP Online

Filo: Cordados
Classe: Mamíferos
Ordem: Primates
Família: Callitrichidae
Gênero: Leontophithecus
Espécie: Leontophithecus rosalia

O mico-leão dourado é encontrado nos poucos remanescentes de Mata Atlântica do Brasil. Alimenta-se de frutas, insetos, caracóis, lagartos, filhotes de aves, ovos e resina de árvores.
É um primata diurno e territorial que vive em pequenos grupos de 2 a 11 indivíduos. Em média, 3 a 7 membros de um grupo têm relação de parentesco. O grupo é constituído de um casal dominante, que vive junto durante a vida inteira, e outros animais de diferentes idades. Apenas o casal dominante se reproduz. A reprodução ocorre duas vezes por ano. Geralmente são gerados dois filhotes por vez, num período de gestação de 125 a 132 dias. Aos 3 meses de idade, os filhotes são desmamados. Ao atingir a maturidade, com cerca de dois anos de idade, os jovens abandonam o grupo. O mico-leão dourado pode viver cerca de quinze anos.
Infelizmente, o mico-leão dourado está criticamente ameaçado de extinção. Programas de reprodução em cativeiro e reintrodução de indivíduos no meio selvagem tem ajudado a conservar a espécie. É o símbolo da luta pela preservação das espécies brasileiras ameaçadas de extinção.

Curiosidades:
  • O mico-leão dourado está estampado no verso da cédula de 20 reais.  Esta cédula entrou em circulação em 27 de junho de 2002.

Imagem retirada do site do Banco Central do Brasil

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Garça Branca Grande

Mais uma postagem da série "Animais das Cédulas de Real"...

Imagem retirada da Internet
Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Aves
Ordem: Pelecaniformes
Família: Ardeidae
Gênero: Ardea 
Espécie: Ardea alba

A garça branca grande é encontrada desde a América do Norte até o Estreito de Magalhães. É encontrada também no Velho Mundo. No Brasil, é  encontrada no Pantanal, costas do sudeste, nordeste e norte do país. Seu habitat são rios, lagos e banhados.
É uma ave migratória. Vive em pequenos grupos. Alimenta-se principalmente de peixes e animais aquáticos. Come também insetos, répteis e lixo. Às vezes, ataca cobras e pequenos mamíferos.
Na época da reprodução, formam-se penas especiais chamadas egretas em seu dorso. Essas penas são utilizadas principalmente pelos machos para se exibirem para as fêmeas. Seu ninho é grande e construído com gravetos. Vários casais de diferentes aves aquáticas costumam nidificar na mesma área.

Curiosidades:
  • Há muito tempo, as egretas eram utilizadas para a confecção de chápeus para mulheres. Felizmente, hoje em dia, essa prática foi abandonada e a população de garças brancas grandes permanece estável.
  • A garça branca grande está estampada no verso da cédula de cinco reais. Esta cédula entrou em circulação em 01 de julho de 1994.

Imagem retirada do site do Banco Central do Brasil

domingo, 13 de julho de 2014

Tartaruga de Pente

Mais uma postagem da série "Animais das Cédulas de Real"...
Imagem retirada de "O Mundo dos Animais", Editora Nova Cultural

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Répteis
Ordem: Testunides
Família: Cheloniidae
Gênero: Eretmochelys
Espécie: Eretmochelys imbricata

Esta espécie de tartaruga recebeu seu nome popular porque seu casco era usado para confecção de pentes e outros utensílios. É encontrada nos mares tropicais e por vezes subtropicais dos oceanos Atlântico, Índico e Pacífico. Seu habitat são os recifes de coral e águas costeiras rasas. Ocasionalmente, é encontrada em águas profundas.
Possui uma cabeça e bico estreitos, que lhe permitem buscar alimento nos recifes de coral. Alimenta-se principalmente de esponjas, anêmonas, lulas e camarões.
Desova geralmente no verão. Pode ocorrer uma ou duas desovas por estação. São postos de 73 a 189 por vez. O período de incubação é de 47 a 75 dias.
Infelizmente, está criticamente ameaçada de extinção devido à caça indiscriminada.

Curiosidades:
  • A tartaruga de pente está estampada no verso da cédula de dois reais do nosso dinheiro. A cédula de dois reais entrou em circulação em 13 de dezembro de 2001.

Imagem retirada do site do Banco Central do Brasil

sábado, 12 de julho de 2014

Beija-flor de Peito Azul

Com essa postagem, estou começando uma nova série. Desta vez, chama-se "Animais das Cédulas de Real". Cada animal que será postado nessa série, está estampado no verso da cédula correspondente ao seu valor.
Imagem retirada da Internet



Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Aves
Ordem: Apodiformes
Família: Trochilidae
Gênero: Amazilia
Espécie: Amazilia lactea

Esta espécie de beija-flor é uma das menores que existem. É encontrada no Brasil, Bolívia e Peru. É facilmente encontrado em áreas urbanas arborizadas.
Assim como todos os beija-flores tem papel importante na polinização das flores. Tímido, agitado e agressivo, muitas vezes disputa território e alimento com outras espécies de beija-flor e com outras aves que têm hábitos alimentares parecidos. Frequentemente é encontrado alimentando-se em bebedouros com água açucarada.
Constrói seu ninho em um galho de pouca altura. Este ninho é camuflado com líquens, dificultando sua observação. O ninho abriga dois ovos.
O beija-flor de peito azul não está ameaçado de extinção.

Curiosidades:
  • O beija-flor de peito azul está estampado na cédula de 1 real do nosso dinheiro. Esta cédula foi tirada de circulação há alguns anos. Por isso, ela se tornou extremamente rara e valiosa.

Imagem retirada do site do Banco Central do Brasil

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Águia Filipina

Pode-se dizer que a postagem de hoje é a continuação da postagem de ontem...

Imagem retirada de "O Mundo dos Animais", Editora nova Cultural
Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Aves
Ordem: Accipritiformes
Família: Accipritidae
Gênero: Pithecophaga
Espécie: Pithecophaga jefferyi
É também conhecida como águia comedora de macacos. A águia filipina é uma das maiores aves de rapina do mundo. É endêmica das Filipinas. Seu habitat são as florestas tropicais.
É um predador com envergadura alar de dois metros e fortes garras. Possui um bico estreito e recurvado. Alimenta-se de macacos e de grandes aves. Muitas vezes é acusada de atacar animais domésticos.
Não apresenta dimorfismo sexual. Faz seu ninho nas árvores mais altas da floresta. Põe apenas um ovo por vez, com período de incubação de dois meses. Reproduz-se a cada dois anos. Pode viver de 30 a 60 anos
Infelizmente, está criticamente ameaçada de extinção. A águia filipina jamais se reproduz em cativeiro.

Curiosidades:

terça-feira, 8 de julho de 2014

Águia Cinzenta

A postagem de hoje faz referência à série de selos brasileiros "Relações Diplomáticas", mais precisamente Relações Diplomáticas Brasil-Filipinas.

Imagem retirada da Internet

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Aves
Ordem: Accipritiformes
Família: Accipritidae
Gênero: Urubitinga
Espécie: Urubitinga coronata

Esta ave de rapina é uma das maiores encontradas no Brasil. Pode ser encontrada em São Paulo, Minas Gerais até o Rio Grande do Sul. Também habita a Bolívia e a Argentina. Seu habitat são os campos naturais, cerrados e caatinga.
Alimenta-se de mamíferos (gambás, lebres, tatus, ratos silvestres, etc), aves e répteis. Também come animais encontrados mortos (ovelhas, galinhas e outros).
Passa a maior parte do tempo pousada em cercas, cupinzeiros, postes, etc. Emite vocalizações quando perturbada e reluta em abandonar seu poleiro. Vive solitariamente, exceto na época do acasalamento. Forma casais fiéis para a vida toda. Constrói um ninho feito de galhos secos e põe um único ovo, com período de incubação de 40 dias.
Infelizmente, está criticamente ameaçada de extinção, devido à caça. É frequentemente acusada de atacar animais domésticos.