Marcadores

domingo, 31 de agosto de 2014

Serow Japonês



Imagem retirada de "O Mundo dos Animais", Editora Nova Cultural


Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Mamíferos
Ordem: Artiodactyla
Família: Bovidae
Gênero: Capricornis
Espécie: Capricornis crispus

Também conhecido como antílope japonês, o serow japonês habita apenas as ilhas de Honshu, Kyushu e Shikoku, no Japão. Seu habitat são as regiões montanhosas dessas ilhas.
Seus hábitos de vida são muito adaptados à vida nas montanhas. Seus cascos fendidos o tornam um exímio escalador. De hábitos diurnos, alimenta-se de brotos e folhas de árvores, agulhas de coníferas e bolotas. Ocasionalmente come flores e frutos.
Vive solitário durante a maior parte do ano. Forma casais na época da reprodução, que ocorre entre os meses de setembro a novembro. Os machos disputam ferozmente os territórios durante essa época. Quando dois machos disputam uma fêmea em combate, às vezes um deles morre. A gestação é de aproximadamente 5 meses. A fêmea dá a luz de um a três filhotes. A expectativa de vida do serow japonês é de aproximadamente 20 anos.
Um dos maiores inimigos naturais do serow japonês é o urso negro asiático. Cães domésticos também podem ser seus predadores. Não está ameaçado de extinção, graças a programas de proteção à espécie.

sábado, 30 de agosto de 2014

Polvo Oceânico

Para conhecer outra espécie de polvo, clique aqui

Imagem retirada da Internet
Classificação:
Filo: Moluscos
Classe: Cephalopoda
Ordem: Octopoda
Família: Octopodidae
Gênero: Octopus
Espécie: Octupus insularis

O polvo oceânico é encontrado na costa Norte e Nordeste do Brasil. É mais abundante nas ilhas oceânicas. É uma espécie bentônica. Seu habitat são os recifes, superfícies rochosas e de cascalho.
Alimenta-se de moluscos bivalves e crustáceos. Sua preferência alimentar varia conforme o habitat.
Na época da reprodução, uma fêmea é rodeada por vários machos. São postos mais de noventa mil ovos por vez. As larvas são plânctonicas. O polvo oceânico pode viver até os dois anos de idade.
O polvo oceânico é muito importante na atividade pesqueira do Brasil.

Curiosidades:
  • O polvo oceânico está ilustrado em um dos selos emitidos em 2011 pelos Correios do Brasil.

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Tuatara

Imagem retirada de "Aventura Visual", Editora Globo


Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Répteis
Ordem: Rhynchocephalia
Família: Sphenodontidae
Gênero: Sphenodon
Espécie: Sphenodon punctatus

Apesar de se parecer com um lagarto, este réptil que pode ser considerado um fóssil-vivo. É o único representante vivo de um grupo de répteis há muito tempo extintos. A tuatara é encontrada apenas na Nova Zelândia. Seu habitat são as florestas de algumas ilhas desse país.
Possui uma longa cauda,corpo parecido com o de um dinossauro e uma longa cadeia de espinhos nas costas. Tem o vestígio de um "terceiro olho" no alto da cabeça. Porém, não se conhece a real função desse "olho".
 É um animal de hábitos noturnos. A tuatara descansa durante o dia, em tocas escavadas com suas fortes garras. Divide sua toca com aves aquáticas. Alimenta-se de insetos, ovos e lagartos. Pode devorar também as aves com as quais divide sua toca. Porém, na maioria das vezes, revela-se um bom anfitrião, deixando para elas os restos de seus alimentos.
Põe cerca de 12 ovos, que são incubados pelos Sol. Eclodem cerca de 13 a 15 meses após a postura. Torna-se adulto aos vinte anos de idade. Sua expectativa de vida está entre 50 a 100 anos.
Infelizmente, está em risco de extinção devido à concorrência com animais introduzidos pelo homem na Nova Zelândia, como gatos, raposas, cães e porcos.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Peixe Arqueiro

Imagem retirada de "O Mundo dos Animais", Editora Nova Cultural

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Osteichthyes
Ordem: Perciformes
Família: Toxotidae
Gênero: Toxotes
Espécie: Toxotes jaculator

O peixe arqueiro é encontrado por toda região do Indopacífico e Indochina, desde o norte da Índia, através da Birmânia até a Tailândia, Indonésia e Papua Nova Guiné. Seu habitat são os mares e oceanos, rios, estuários, pântanos e mangues.
Sua principal característica é o fato de esguichar água pela boca, em fortes jatos para fora da água, fazendo suas presas (geralmente insetos), caírem na água. Possui uma fenda especialmente adaptada no céu da boca. O peixe pressiona a língua contra a fenda para formar um "tubo" e forçar a saída da água com um forte movimento das brânquias. Possui uma ótima pontaria. Graças aos seus grandes olhos, é capaz de calcular distâncias e a refração da água. Alimenta-se também de outros pequenos invertebrados e pequenos peixes.
Pouco se sabe sobre o acasalamento do peixe arqueiro. Acredita-se que os cardumes  encontrados em águas doces e salobras sejam constituídos de peixes jovens, enquanto os peixes adultos nadam no mar. Põe de vinte mil a quinze mil ovos.
Não se conhece sua longevidade em liberdade, mas vive cerca de 5 anos em cativeiro. Não está ameaçado de extinção.

Assista a seguir um vídeo de um peixe arqueiro em ação...


segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Escaravelho do Esterco

Imagem retirada de "O Fascinante Mundo Animal", IMP Online

Classificação:
Filo: Artrópodes
Classe: Insecta
Ordem: Coleoptera
Família: Scarabaeidae
Gênero: Scarabeus
Espécie: Scarabeus sacer

Também conhecido como escaravelho rola-bosta, este besouro é encontrado praticamente em todo o planeta. Onde houver excremento e matéria orgânica, esse inseto poderá estar presente. Recebeu o nome popular devido ao hábito de rolar bolas de esterco, das quais se alimenta, sobre o solo, para o interior de tocas. Dentro da toca, fica protegido dos inimigos e da competição dos rivais.
Vive solitário ou em pequenos grupos. A época do acasalamento varia de acordo com a localidade onde vive. Após o acasalamento, a fêmea põe cada um dos ovos dentro de uma bola de esterco. Pouco tempo depois a larva eclode o ovo e se alimenta da matéria orgânica contida na bola de esterco. A fase larval dura de 3 a 9 meses, dependendo da região. O besouro do esterco vive cerca de 18 meses.
Infelizmente, este importante lixeiro da natureza está em extinção devido ao uso de alguns tipos de medicamentos no gado bovino.

Curiosidades:
  • No Antigo Egito, o escaravelho do esterco era considerado sagrado. Era um símbolo de fertilidade e longevidade. Usava-se a imagem do inseto para decorar câmaras funerárias, assim como artefatos e joalheria.
  • No início da colonização da Austrália, quando o gado bovino começou a ser criado nesse país, não se sabia o motivo pelo qual as gramíneas estavam morrendo. Descobriu-se, então, que a causa da morte das gramíneas era o fato de que não existiam escaravelhos do esterco na região. Então, o besouro foi introduzido para tentar resolver o problema.

domingo, 24 de agosto de 2014

Vira-bosta


Imagem retirada da Internet


Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Aves
Ordem: Passeriformes
Família: Icteridae
Gênero: Molothrus
Espécie: Molothrus bonariensis

Recebe seu nome popular devido ao seu hábito de "fuçar" as fezes de gado à procura de sementes mal digeridas. Também é conhecido como chupim, engana tico-tico, godero e outros nomes. Seu habitat são paisagens abertas como campos, pastos, parques e jardins. É encontrado em todo o Brasil e na América do Sul, exceto Cordilheira dos Andes.
Alimenta-se de sementes e insetos.  Aprende a frequentar comedouros artificiais de aves, catar migalhas em locais públicos e a seguir arados à procura de minhocas e outros animais. É considerado uma praga agrícola principalmente nos arrozais do sul do Brasil.
Reproduz-se de julho a dezembro. É uma espécie que não constrói ninho. Utiliza os ninhos de outras aves para criar seus filhotes. Põe de 4 a 5 ovos por vez, um em cada ninho de ave parasitada. Os ovos do vira-bosta são geralmente de cores extremamente parecidas com os ovos das aves hospedeiras. O período de incubação dos ovos do vira-bosta é de 11 a 12 dias, alguns dias a menos que das aves parasitadas. Os filhotes do vira-bosta são criados pelos "pais adotivos", como se fossem seus próprios filhotes. São conhecidas pelo menos 55 espécies de aves que são parasitadas pelo vira-bosta.

Curiosidades: 

  • Seu nome científico significa "pássaro de Buenos Aires que luta pela atenção dos pais".

sábado, 23 de agosto de 2014

Borboleta Coruja

Para conhecer outra borboleta, clique aqui

Imagem retirada de " O Fascinante Mundo Animal", IMP Online
Classificação:
Filo: Artrópodes
Classe: Insecta
Ordem: Lepdoptera
Família: Brassolidae
Gênero: Caligo

Este tipo de borboleta recebe o nome popular porque em suas asas estão dois grandes círculos, que se assemelham muito a olhos de coruja. Esses círculos em suas asas constituem um excelente meio de defesa contra predadores.
A borboleta coruja é encontrada nas florestas tropicais das Américas Central e do Sul. É comum encontrá-la  tanto ao nível do mar, quanto em altitudes superiores a dois mil metros. É inseto noturno.
Reproduz-se preferencialmente durante a época das chuvas. São postos cerca de 150 ovos por vez. Os ovos dão origem a lagartas, que depois de comerem vorazmente durante vários dias, tornam-se pupas (casulos). 18 dias depois de  formado o casulo, tornam-se adultas. A longevidade é de 40 dias.
As lagartas se alimentam de folhas de várias plantas como a bananeira e helicônia. Os adultos alimentam-se de polpas de frutas podres e seiva de árvores.