Marcadores

domingo, 17 de junho de 2018

Cobra Rato

Imagem retirada de "O Mundo dos Animais", Editora Nova Cultural

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Répteis
Ordem: Squamata
Família: Colubridae
Gênero: Pantherophis 
 Espécie: Pantherophis obsoletus

A cobra rato é endêmica dos Estados Unidos. Seu habitat são as florestas, áreas rochosas, campos e áreas cultivadas.
É uma serpente tímida e pouco agressiva. Sentindo-se ameaçada, prefere fugir. Sobe com desenvoltura em árvores. Não é venenosa. Mata suas presas por constrição. Alimenta-se basicamente de roedores, pequenas aves e ovos. Hiberna no inverno.
A reprodução ocorre de abril a junho. A fêmea põe de 12 a 20 ovos, embaixo de pedras, folhas ou num buraco. A incubação dura de 65 a 70 dias. Assim que nascem, os filhotes são independentes. Tornam-se adultos com cerca de 4 anos de idade. A expectativa de vida é de cerca de 30 anos.
A cobra rato é importante no controle biológico da população de roedores. Não está ameaçada de extinção.

sábado, 16 de junho de 2018

Peixe Cabra Voador

Imagem retirada de "O Mundo dos Animais", Editora Nova Cultural

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Osteichthyes
Ordem: Scorpaeniformes
Família: Dactylopteridae
Gênero: Dactylopterus
Espécie: Dactylopterus volitans

Conhecido também como coió, este peixe é encontrado no Atlântico Oriental: no Canal da Mancha, Angola, Mar Mediterrâneo, Ilha da Madeira e Açores, e no Atlântico Ocidental: do Canadá à Argentina. Seu habitat são os recifes de coral.
É encontrado nas áreas arenosas ou próximo às rochas. Alimenta-se de pequenos crustáceos, mariscos e pequenos peixes. Possui um ferrão próximo à cabeça, porém não é venenoso.
Pouco se sabe sobre seus hábitos reprodutivos. Durante a reprodução, sobe à superfície e realiza curtas planagens.
O peixe cabra voador não é importante para a pesca comercial. Não está ameaçado de extinção.


sexta-feira, 15 de junho de 2018

Abutre Egípcio

Imagem retirada de "O Mundo dos Animais", Editora Nova Cultural

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Aves
Ordem: Falconiformes
Família: Accipitridae
Gênero: Neophron
Espécie: Neophron percnopterus

Apesar do nome, o abutre egípcio não é encontrado apenas no Egito, mas em muitas partes do Oriente Médio, Europa e África. Seu habitat são as florestas, desertos, dunas, savanas, montanhas, subúrbios, áreas urbanas e áreas cultivadas.
É um animal diurno. É uma ave territorial e bem oportunista.  Costuma disputar  território e alimento com outros membros de sua espécie. É carnívoro. Orienta-se principalmente pela visão para encontrar comida. Normalmente, alimenta-se carniça, mas também come insetos, pequenos répteis e mamíferos, crustáceos, ovos e filhotes de aves.
Forma casais fixos para a vida inteira. A reprodução ocorre de março a maio. A fêmea põe de 1 a 3 ovos, com período de incubação de  39 a 45 dias. A mãe incuba os ovos sozinha. Os filhotes são cuidados pelo casal. Após cerca de 4 meses são independentes. Tornam-se adultos aos 4 anos de idade. A expectativa de vida é de cerca de 37 anos.
O abutre egípcio é um importante "lixeiro da natureza". Infelizmente, está ameaçado de extinção.

Curiosidades:
  • O abutre egípcio é considerado uma das aves mais inteligentes do mundo. É capaz de usar ferramentas simples. Quando se alimenta de ovos de avestruz, utiliza uma pedra para quebrá-lo. Após numerosos golpes com a pedra, consegue quebrar a casca.

domingo, 10 de junho de 2018

Muriqui do Norte

Para conhecer um parente próximo, clique aqui.

Imagem retirada do jornal "Folha de São Paulo", 11/05/2018

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Mamíferos
Ordem: Primates
Família: Atelidae
Gênero: Brachyteles
Espécie: Brachyteles  hypoxanthus

O muriqui do norte é endêmico da Mata Atlântica brasileira.
Vive em grupos de 40 a 80 indivíduos, mas pode formar grupos menores. Não é agressivo, tampouco territorial. Normalmente, locomove-se no alto das árvores.  Sua cauda é preênsil. Dificilmente, desce ao chão. É um animal herbívoro. Alimenta-se de  folhas, frutas, flores, néctar, sementes e cascas de árvores.
A reprodução ocorre durante a estação chuvosa, de outubro a abril. Um macho costuma acasalar com várias fêmeas. A fêmea dá à luz a apenas um filhote, após uma gestação de cerca de sete meses. O filhote é cuidado exclusivamente pela mãe por dois anos. Torna-se adulto por volta dos 5 anos de idade. A expectativa de vida é de cerca de 30 anos.
O muriqui do norte está criticamente ameaçado de extinção.

sábado, 9 de junho de 2018

Salamandra Preta e Amarela

Postagem com imagem e dados atualizados: salamandra marmorizada.

Imagem retirada de "O Mundo dos Animais", Editora Nova Cultural
Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Anfíbios
Ordem: Caudata
Família: Ambystomatidae
Gênero: Ambystoma
Espécie: Ambystoma maculatum

A salamandra preta e amarela é endêmica dos Estados Unidos. Seu habitat são as florestas temperadas próximas a rios e outros cursos de água.
É um animal solitário. Prefere viver em locais úmidos. Passa boa parte do dia no interior de tocas cavadas no solo. Também se refugia embaixo de pedras ou troncos caídos. As larvas são predadores agressivos. Alimentam-se basicamente de insetos aquáticos. Os adultos comem pequenos invertebrados terrestres e outras espécies de salamandras menores.
A reprodução ocorre do final do inverno até o início da primavera. As salamandras migram durante a noite para os cursos de água. Os machos podem competir pelo direito de acasalar com as fêmeas. Cada fêmea põe de 100 a 300 ovos. Larvas nascem dos ovos após 4 a 7 semanas. Sofrem metamorfose até indivíduos juvenis, parecidos com os adultos. Tornam-se adultos com 2 a 7 anos de idade. A expectativa de vida é de 20 a 30 anos.
A salamandra preta e amarela é importante para o controle biológico de insetos nocivos. Não está ameaçada de extinção.

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Codorna Japonesa

Imagem retirada da Internet

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Aves
Ordem: Galliformes
Família: Phasianidae
Gênero: Coturnix
Espécie: Coturnix japonica

A codorna japonesa não é nativa apenas no Japão, mas também na Rússia, Coreia e China. Seu habitat são os gramados, margens de rios e áreas cultivadas.
Passa a maior parte do ano na Ásia. No inverno, migra para a África. Alimenta-se basicamente de sementes e grãos, mas também come insetos e larvas.
A época reprodutiva varia conforme a região. O macho vocaliza para cortejar a fêmea. Caso a fêmea seja receptiva, ela se aproxima e o macho oferece comida. Após esse ritual de corte, inicia-se o acasalamento. A fêmea põe de 5 a 9 ovos, com período de incubação de 17 a 20 dias. Os filhotes tornam-se adultos com cerca de 60 dias de idade. A expectativa de vida é de 6 anos.
A codorna japonesa normalmente é criada pela produção de ovos. 

domingo, 3 de junho de 2018

Cobra Rei Marrom

Imagem retirada da Internet

Classificação:
Filo: Cordados
Classe: Répteis
Ordem: Squamata
Família: Elapidae
Gênero: Pseudechis
Espécie: Pseudechis australis

A cobra rei marrom é encontrada da Austrália e Nova Guiné. Seu habitat são as florestas tropicais, campos e desertos.
É uma serpente que se adapta bem a muitos ambientes diferentes. Pode ser ativa tanto de dia quanto à noite. Alimenta-se de rãs, aves, pequenos mamíferos e pequenos répteis. Come também outras cobras. Seu veneno é muito tóxico. Pode causar dores de cabeça, náuseas, vômitos, problemas musculares e paralisia em humanos.
É uma espécie ovípara. A fêmea põe 4 a 19 ovos, que são incubados num período de 70 a 100 dias dependendo da temperatura.
A cobra rei marrom não está ameaçada de extinção.